‘Pôpa TN’ e ‘Pôpa TR’ 2009: depois de Portugal chegam ao mercado internacional

Os novos ‘Pôpa TN’ e ‘Pôpa TR’, da colheita de 2009, que foram lançados pela Quinta do Pôpa no final de 2013 estão já disponíveis em restaurantes, garrafeiras e lojas selecionadas de Norte a Sul do país. 

Há também encomendas a caminho do mercado internacional. Dois DOC Douro criados a partir de duas das castas mais emblemáticas da região: Touriga Nacional e Tinta Roriz, respectivamente, aqui vinificadas e engarrafas em estreme. 
Pôpa TN tinto 2009
De cor limpa e carregada, o ‘Pôpa TN tinto 2009’ destaca-se por ser um vinho bastante aromático, com grande concentração de fruta madura e um toque floral; a presença de madeira é discreta e harmoniosa. Na boca, apresenta uma entrada cheia de fruta, tanino discreto mas presente. O equilíbrio entre o tanino e a acidez fazem deste um tinto do Douro muito elegante. Um Touriga Nacional diferente que prima pela fineza e equilíbrio.
O monocasta de Tinta Roriz revela-se um vinho “sério” e de cor limpa e vermelha carregada. Um pouco fechado no início – com notas de mato seco –, mostra muita fruta, especiarias e madeira discreta no fundo, quando abre. Na boca é macio, rico no sabor e volume. Nota-se a concentração do tanino, mas bem enquadrada com o sabor e equilibrada com a acidez. Estamos, mais uma vez, perante um vinho equilibrado e elegante.

São ambos vinhos feitos de forma tradicional – pisa da uva feita a pé em lagares – e com estágio de oito meses em barricas de carvalho francês e um ano em garrafa, o que lhes confere complexidade e estrutura e evolução com elegância entre 2 a 8 anos. Para além do formato habitual, a Quinta do Pôpa engarrafou estes néctares em garrafas magnum (de 1,5 litros).

Preços de Venda ao Público Recomendados:
Pôpa TN tinto 2009: € 14,00 (750 ml) ou € 33,00 (magnum)
Pôpa TR tinto 2009: € 19,00 (750 ml) ou € 43,00 (magnum)

Sobre a Quinta do Pôpa:

A Quinta do Pôpa é uma janela sobre o rio Douro localizada em Adorigo, no concelho de Tabuaço, em pleno Alto Douro Vinhateiro. O nome e história desta Quinta simbolizam a realização de um sonho que tem passado de geração em geração, homenageando Francisco Ferreira, mais conhecido como Pôpa: o seu filho adquiriu parte da propriedade em 2003, mas hoje são os seus netos que estão à frente do projecto, com o objectivo de produzir vinhos de qualidade superior. Um projecto familiar que conta com a expertise do enólogo bairradino Luís Pato. Com uma área total de 30 hectares, dos quais catorze são de vinha (três de vinha velha com mais de 60 anos), composta por uma mistura de nobres castas tintas, todas de letra A. 

Na produção conciliam-se as técnicas mais sofisticadas com séculos de rigorosa tradição, como a vinificação através da pisa a pé em lagares de granito a uma temperatura controlada; e na construção  de uma marca com personalidade e qualidade, criada através da sua história e do casamento harmonioso entre a terra e o clima que o seu terroir tem para oferecer. O portefólio deste produtor duriense reúne as marcas Contos da Terra (branco e tinto), Preffácio (branco, tinto e rosé) e Pôpa (dois monovarietais – Tinta Roriz e Touriga Nacional; um Vinhas Velhas; e um vinho doce tinto). Para além do tinto de seu nome PaPo (ou Trepa, quando falamos do mercado internacional). 

Saiba mais sobre a Quinta do Pôpa em www.quintadopopa.com 

Comentários

Mensagens populares